quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

PRÓLOGO:

 29, Junho, 2014.
Orange Country, CA.
~Jannie's POV~

   Acreditei que estava morta, assim como Lacey.. Como pude acreditar nisso? Como pude pensar que poderia acreditar que eles não iriam nos salvar? Até hoje tenho minhas dúvidas, porque por um segundo esqueci que tínhamos quem nos socorrer, a quem nos dar apoio. Por um segundo, esqueci de tudo que eu já tinha passado até então, esqueci quem eu era, esqueci do meu amor.
   Quando eu acordei, vi Zachary sentado na ponta da cama, parecendo que estava a minha espera. E realmente estava, para a minha alegria. E esteve lá comigo, naquela cama de hospital o tempo todo, mas eu não tinha reparado nisso.

-        Pera, uma cama de hospital? - Eu comecei a me perguntar o que eu fazia ali, porque desde que eu me lembre, eu estava com Lacey, na boate, digo, ah, não tem como descrever aquele lugar, praticamente nossa casa. - Zacky, o que eu estou fazendo aqui? - disse eu com os olhos cheios de lágrimas, e com a garganta arranhando.

-        Hãm... Diga-me uma coisa, do que você se lembra? - Disse ele, olhando profundamente nos meus olhos, até que meu celular toca.

   Era minha mãe, para a minha surpresa, ela sabia de Zachary? Como? Desde que eu me lembre, ela nunca soube da minha vida, ou no caso, eu nunca fiz questão que ela soubesse. E afinal, eu tinha saido de casa, agora morava em Huntington Beach, não em Iowa. Isso me lembrou algo, Lacey. Onde ela estava, e estava bem? Estava no mesmo hospital que eu? Mas eu tinha que atender o celular e falar com minha mãe. E que no caso, diferente de desde muitos anos, nunca havia sentido tanta vontade de falar.

-        Jannie! Finalmente, estou ligando há muito tempo – ela não dava nem uma pausa para falar, o que me fez ficar meio que... preocupada – Eu falei com Zachary ontem e ele disse que você ainda está em HB, porque você não volta? Ou faz só uma visita quando melhorar? Ah Jannie.. Eu e seu pai já arrumamos tudo para sua volta, e o melhor, o quarto do nosso netinho, com uma cama de casal, caso você queira dormir aqui com Za....... - Não consegui resistir e desliguei o celular.

   Eu havia paralisado, com todas aquelas palavras, era muito pra quem praticamente queria descobrir quem era, eu não estava conseguindo pensar direito, e na realidade? Nem queria muito. Eu só queria esperar a “poeira abaixar” e entender o que ela quis dizer com “o quarto do nosso netinho”. Eu, entrei num choque profundamente estranho, até que me acalmei e chamei Zacky para conversarmos, mas diferente do que eu havia planejado, foi ele quem começou o assunto..

-        Jannie? Eu não queria te atormentar a essa hora, eu sei que você não tá bem e que deveria estar descansando, mas nós temos que conversar. Para o seu bem, porque eu sei que você já deve ter uma certa noção do que aconteceu e.. - Ele reparou que eu olhava distraida, mas tão fixada em seus olhos verdes claros. - Jannie?

-        Ah, oi, amor.. Desculpa, é que parece que faz meses que eu não te vejo, e eu tô com tanta saudade.. Por quanto tempo eu vou ficar aqui? Aliás, há quanto tempo eu estou aqui? E porque?? - Eu quase não o deixava falar, coitado.

-        Enfim, eu também estava e estou com muitas saudades, e, indo logo ao ponto, você e Lacey sofreram um acidente de carro na sexta-feira pass....

-        O QUE? Cadê a Lacey? Ela está bem? Onde ela está Zacky? Ah, e o Brian, ele está com ela? Eu quero vê-la, leve-me lá!

-        JANNIE, CALMA! - Ele nunca havia gritado comigo. - Ah, desculpa, eu esqueci que você... - Eu havia o interrompido mais uma vez, e dessa vez ele se irritou. - Olha, eu vou levá-la, mas só quando te derem alta e você já tenha se lembrado de tudo, se acostumado e esteja bem, até lá, só irão se falar pelo telefone daqui do quarto, ok?

-        Ok. Mas voltando ao assunto, é, desculpa por ter te interrompido, é porque eu me importo demais com ela, aquela vadia mudou a minha vida desde que éramos pequenas, e porque não posso ficar sem guitarrista e backing vocal na minha banda né u.u – Eu o fiz rir.

-        Haha, tá bom então. Enfim.. Você não precisa que eu te diga tudo, ou precisa, você sabe o que eu posso tentar fazer aqui mesmo nessa cama de hospital – Ele me olhou com desejo, o que era estranho, mas bom – Jannie, é, não sei se você já entendeu, mas, vou direto ao ponto, você entendeu o que eu disse com “não vai sair da cama até que esteja totalmente curada”? - Ele me olhou um pouco estranho, preocupado ou algo do tipo.

-        Que eu estou toda fodida e que vai demorar pra eu melhorar? Mano, fala, o que eu tenho? Eu vou morrer? É algo muito grave?

-        Você tá grávida. De 4 meses e Lacey de 3. Vocês naquele acidente, poderiam ter morrido, sabia? Mas sabe porque? Por causa da teimosia das duas. Mas ainda bem, ainda bem que eu briguei com Brian e decidi ir atrás de vocês. Foi um choque, quando eu vi aquele caminhão batendo no carro de vocês. Não sei como, mas você foi a que menos se feriu. E o caminhão pegou no seu lado. Foi um flash eu não consegui ver direito, mas você por reflexo, virou o carro dando uma ré, e – Eu comecei a me lembrar exatamente como aconteceu. Ele estava distraído falando, e eu ao mesmo tempo, concentrada e recebendo flashbacks daquela noite, mas agora mais do que nunca eu estava feliz e preocupada, eu carregava uma vida dentro de mim, e minha melhor amiga também! Isso era incrível, deu vontade de sair correndo até o quarto dela pra dar os parabéns, mas lembrei do que Zacky me pediu, e – Jannie? Você escutou o que eu disse?

-        Claro! Ah, Zacky, me desculpa, mas me dá um abraço, vamos ter um bebê! Você sabe o que é isso? Amor – Eu nunca me senti tão boba e tão humana, adulta. E Lacey, se ela estiver acordada ela vai pirar. Nós duas grávidas de nossos “boys magias” em Huntington Bitch, digo, Beach. Ai quem sabe em um sábado ensolarado, nós passeamos pelo parque, caçamos uns patos, fazemos um piquenique com nossos filhos. Meus pensamentos radiantes como um eclipse foram interrompidos por Zacky.

-        Ok futura mamãe – Ele me abraçou de uma forma acolhedora, linda, a qual fez eu chorar e não soltá-lo.

-        Zachary, quando será nosso casamento?

-        Você já olhou pra sua mão?

-        Oi? Ah – Eu olhei para minha mão direita e vi o anel com brilhantes.. Era lindo, e segundo ele, combinava com minha cor pálida de “patricinha de Bervely Hills”, afinal só faltava eu ser loira, comprar roupas de marca e escutar Justin Bieber, o que fez eu, mesmo incapaz de realizar qualquer atividade, dar uns belos socos nele como sempre, e isso me fez sorrir sinceramente
.
   Após uns dois minutos conversando com ele, coisa que eu não fazia, parecia há uma eternidade, a enfermeira apareceu com um bilhete, eu pensei que já fosse minha alta, mas era um bilhete da Lacey, e aquilo me arrancou um super sorriso. A letra era de brian, não tinha como não reconhecer os rabiscos feitos por esses artistas. O bilhete dizia praticamente tudo que eu queria dizer a ela, e me deu uma vontade enorme de pedir uma cadeira de rodas – Já que eu não podia nem andar – e ir até aquela harlot. Estava escrito “Parabéns mamacita haha, sério, ela vai ser linda, eu serei a madrinha e brian o padrinho, e você e Zachary seram do meu linducho u.u Ai Janniiiiiiiiie, que felicidade, não é? Isso é muito perfeito, é lindo! Brian está aqui do meu lado, e eu pedi que ele trouxesse uma cadeira de rodas pra eu ir ai, só que ele disse que minha bitch friend está em condições melhores que a minha ç.ç vem pra cá vadia, tô sentindo sua falta, e veja o que eu fiz pra você, haha, é surpresa sua curiosa! Vem pra cá correndoooooo, mentira, vem de cadeira de rodas, porque né.. Então tá, estou te esperando, peça a minha amiguinha que conseguiu entrar aqui no hospital e se vestir de enfermeira te trazer. Ela é enfermeira, mas não trabalha aqui, está cuidando especialmente de mim, e agora de você e nossos filhotes, ela já sabe de tudo, então apareça aqui em menos de 10 min se não quiser ter seu nariz quebrado vadia. Beijos da sua Lay, te amo muitãaaao u-u”

-        Nossa, ela me ama mesmo, haha – Disse eu à enfermeira – Desculpa eu me intrometer, mas de onde vocês se conhecem? Você é meio familiar pra mim...

-        Que nada Jaymelão – Reconheci na hora esse apelido de duas frutas brasileiras, Jamelão e Melão. E misturaram com meu nome – haha, se lembra?

      -     Taliah! Que saudades. Mas não é hora disso, leve-me ao quarto dela, porque não quero ter meu nariz quebrado...


   E fui ao encontro de Lacey, pois já não aguentava mais de saudade dela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário