terça-feira, 18 de dezembro de 2012

CAPITULO 2 - Welcome To The New Life


 CAP. 2
Welcome To The New Life.
27, Agosto, Huntington Beach.

   Foi um sufoco para nós acharmos um táxi disponível, cruzes. Do aeroporto até nossa “humilde mansão” eram 20 minutos. Quando chegamos na porta do condomínio, o gerente Williams veio nos receber para nos mostrar nossa casa e fazer um tour por lá. Levamos uns 10 minutos caminhando até chegarmos à nossa mansão, o que eu achei um absurdo, sendo que tínhamos comprado o carrinho de golf. Percebi que Lacey estava muito mais entretida com o gerente do que eu. Depois ela iria me explicar. Eu percebi o jeito que ela olhou pra ele, assim que o viu pela primeira vez. E isso era bem engraçado, sei lá, namorar com o primeiro cara que apareceu, na Califórnia “o lugar com garotos mais lindos” , era bem irônico ela gamar no primeiro engravatado que apareceu.

-        Bom meninas, essa é a casa de vocês, já já seu mordomo irá carregar as malas, aproveitem! - disse o gerente simpático.

-        Ah, antes de você ir embora, uma pergunta, se acontecer algo aqui na casa, para onde nós ligamos – disse eu, tentando ser um pouco simpática e quebrar o gelo que ele e Lacey deixaram.

-        Ah, aqui meu cartão, na verdade do condomínio né.. Vocês podem ligar a qualquer hora e deixar recado na secretária eletrônica.

-        Ok, mas você não quer entrar para tomar um café com a gente não? – disse Lacey quando ele já estava indo.

-        Ah, obrigada srtª Marshall, mas vocês acabaram de chegar, não quero atrapalhá-las..

-        Então você vem depois – Eu disse, antes que Lacey desse mole de novo.

-        Depois a gente vê isso, ok? Vou-me embora agora, até outro dia, aproveitem! – Disse ele.

-        Até então, tchau Chris! - Dissemos juntas e após ele virar a curva da nossa “rua”, entramos finalmente.

~Lacey's ON~

   A casa era um espetáculo, parecia com aquelas casas de novela, ela era linda.. Tinha escadas na entrada lateral, era branca, bem clara, com a vista da quadra que tinha para lazer. E antes da varanda ela era espelhada, digo com vidros. Eu e Jannie subimos para vermos nossos quartos. Tinham 3 suítes na verdade, uma para visitas. Não tinha essa de suíte master, premium e solteiro, duas eram praticamente iguais, que no caso uma minha e uma de Jannie, e a ultima deixaríamos para hóspedes.

-        Jannie, olha isso! – gritei eu do meu banheiro, expressando a minha surpresa ao ver uma banheira de hidromassagem, 5 segundos após eu gritar, Jannie chegou.

-        O que foi doida? UAU! Nem fui no banheiro, fui direto pro closet. Lay, você já guardou a mala com o dinheiro ou quer que eu guarde no cofre que tem lá?

-        Ah, pode guardar então.. Espera – disse eu assustada – eu ouvi um barulho lá de baixo, tem alguém além de nós aqui?

-        Não, Chris já foi embora.. Não é o tal mordomo não – Às vezes eu invejava a capacidade mental de Jannie, por mais que ela não fosse tão intelectual, ela era esperta.

-        Ah é, esqueci disso, essa vida de rico não é fácil – Eu tinha que ironizar um pouco.

   Descemos ao encontro do mordomo que por acaso já havia comprado os mantimentos mais que perfeitos, para encher a dispensa. O mais tosco foi que as comidas eram tudo lights, sem graças, mas então resolvemos deixar aquelas comidas para ele, que parecia saber de etiqueta e que iria encher o saco para sermos educadas e finas. Ele era alto, forte, de boa aparência e tinha olhos verdes.
   Não tivemos um grande tempo de conversa, embora eu e Jannie quiséssemos conversar com ele.. Ele parecia ser bem legal e engraçado, embora mantesse o senso bem sério..
   Logo subimos para nossas suites – closets – banheiros – quartos , whatever, para arrumarmos logo, porque hoje era dia de nossa estreia em Huntington, o dia em que iríamos conhecer a cidade, ir pra uma boa balada, e ficar lá até sermos expulsas. Isso até percebermos que já eram 15:00.
   Terminamos tudo bem rápido, ainda mais porque a casa não precisava de faxina e sim de arrumação, e disso, ou grande parte disso, Sebastian já havia cuidado.

-        Jay! Vem cá, rápido! – disse eu eufórica pra saber com que roupa Jannie ia usar pra sair.

-        O que foi leba? – Ela tinha que me zoar, pelo menos por um segundo.

-        Você vai sair com que roupa?

-        Como é que é? Quem é você e o que fez com a Lacey que eu conheço??? Cara, desde quando a gente se importa com isso? Eu vou com meu short, meu all star e minha blusa do Machine Head. Só. Precisa de mais? Eu não vou mudar só porque moro em uma mansão, ou algo do tipo.

-        Eu sei Jay, nem eu, mas sei lá, eu achei mais roupas aqui, um vestido preto tomara que caia. E eu não vou sair diferente de você.. Somos praticamente gêmeas, alma ou irmã gêmeas esqueceu?

-        Não, nunca! Lay, você é minha melhor amiga desde sempre, minha única amiga, a qual eu fugi de casa, a qual sempre me ajudou e que eu ajudei, nunca iria esquecer de você. Agora vai lá, pega esse vestido porque eu quero vê-lo.

-        Ok. Espere ai – Ela sentou na minha cama esperando e ficou reparando nos detalhes da minha suite, enquanto eu ia buscar o tal vestido – Aqui -http://www.sabetudo.net/wp-content/uploads/2010/05/xadrez-vestido-2.jpg-

-        Nossa, ele é lindo. Mas é meio formal para uma balada, não?

-        É, agora que eu parei pra pensar nisso..

-        Então... Deixe-me ver seu guarda roupas.

-        Vai lá, que eu vou tomar um banho, e quando eu terminar, você vai se arrumar, para sairmos logo.

-        Ta bom, vai logo synderella.

-        Vai pra merda! – Dei dedo pra ela.

-        Também te amo sua linda! – Disse ela num tom irônico. As vezes eu pensava.. Como que Jay consegue ser tão insuportável..


~ Jannie's ON ~

   O closet dela era completamente cheio de coisas dessas mulheres milionárias que sabem de etiqueta e são cultas, haha. Verdes, pretos, lilás, uau. Até que as roupas eram bonitas e eram a cara da Lacey. Parece que o pessoal do condomínio, no caso, da gerência, conheciam-na muito bem.. Mas Lay não tinha cara dessas pessoas um tanto, estranhas para nós. Mas ela daria um jeito de ficar mais a vontade com aquelas roupas, tipo na vez que fomos pra festa de 15 anos da minha prima e ela estava com uma calça jeans e uma blusa de banda, e estava linda, e é isso que eu acho errado as pessoas dizerem que sendo rockeira não pode ser feminina e tal, ela estava do jeito dela mas bem ideal pra uma festa. Eu ia fazer o mesmo com meu vestido verde. Meus pensamentos foram interrompidos quando ela chegou já completamente arrumada e perguntou o que eu estava fazendo parada ainda. Dai eu percebi quanto tempo havia se passado, e decidi ir tomar uma ducha bem rápido.
   Quando eu estava no banho, ouvi um barulho, que parecia ser da casa ao lado, ou da minha rua, que parecia estar tocando Second Heartbeat. O que era estranho, é porque parecia ser ao vivo e não pelo próprio CD Waking The Fallen. Quando acabou a música, eu estava saindo do banheiro, já com meu short e minha blusa e tudo mais. Quando cheguei no quarto da Lacey, ela já havia descido, devia estar comendo algo ou me esperando mesmo.

-        Até que enfim né. Depois eu que sou a synderella, mó sacanagem isso, tá?

-        Desculpa Lacey, é que eu me distrai lá..

-        Uhum, entendo. Ah, você ouviu? Não somos as únicas rockeiras daqui.

-        É, eu percebi.. Estava tocando Second Heartbeat! Do Avenged! Aqui! Tipo, você não achou o som estranho não?

-        Mais ou menos, mas do que importa? Já são 17:15, vamos sair ou não? – disse ela meio que estressada ou algo do tipo.

-        Claro! Só uma coisa, cadê Sebastian? Já o avisou que iremos sair?

-        Uhum. Ele disse que não quer ir, tem afazeres pessoais, ele fez duas cópias da chave da casa.. Uma nós temos, outra ele tem e a ultima reserva caso “imprevistos” aconteçam.

-        Uh, gostei dele haha, bem previnido. Mas pera, ele já sabe de...

-        Tudo? Aham. – disse Jay parecendo adivinhar o que eu queria dizer.

-        Nossa – disse eu meio que, espantada ou com pena dele.

-        Vamos? – Perguntou ela ansiosa, e pra responder com um “sim” fiz uma breve reverência na porta.

   Já eram 17:30 quando passávamos pela portaria com nosso carro, e deixamos a chave lá com Chris. Fiquei com vontade de perguntar se ele queria ir com a gente, mas lembrei que hoje nós iríamos curtir e não sair socialmente com os amigos pra vadiar. Ok, isso também, mas era pessoal, era só eu e Lacey.

~ Lacey's POV ~

   Eu estava viajando na minha cabeça enquanto saíamos, não dera nenhuma importância para o que Jannie falava. O que era estranho, porque eu estava muito ansiosa, mas pra algo tão comum, tudo que fazíamos em Iowa, e que trazemos aqui para Huntington.. Então não fazia muita diferença, mas acho que era por causa do fato de que estávamos na Califórnia agora. Tinha muito mais do que só zoar com Jannie, agora tinha garotos também, garotos lindos. Mas sei lá, uma pontada no meu coração quando vi que se arrumássemos garotos, seríamos independentes, uma por uma, e isso doía. Mas tava na hora de desgrudar um pouco, por mais que doesse.

   Senti uma lágrima surgindo no meu olho, mas a sequei quando voltei para mim. Jay estava distraída mexendo no seu celular, e com a luz do por do sol, seu cabelo estava brilhando, ela tava realmente parecendo uma daquelas californianas branquelas que pareciam top models. Af. Todos dizem que levaríamos jeito pra modelos se “nos cuidássemos” mais, o que me fazia ficar com raiva do preconceito com nosso jeito. Com nosso jeito. Jeito de se vestir, de se falar, de sermos nós mesmas, parecia que isso incomodava e muito as pessoas.

   Olhei para o relógio, e vi que já eram 17:53, e 18:00 em ponto já estaríamos lá, de acordo com o que Sebastian me instruiu.

   Foi um sufoco conseguir chamar a atenção de Jannie, que ficava totalmente aérea ao mexer no celular ou no computador, e também porque eu estava no volante, não podia largá-lo só pra dar um soco naquela vadia. Até que eu dei um grito e ela saiu de transe.

-        Jannie!

-        O QUE FOI?

-        Haha, calma cara, só pra te avisar pra fechar as janelas e guardar as coisas, vou estacionar aqui.

-        Já chegamos? – A lerdice ou a falta de atenção dela me impressionava, e muito.

-        Uhum, coisa lerda.

-        Vai pra merda.

-        Vamos juntas, haha – Disse isso enquanto passávamos pelos portões da boate.

~Jannie's POV~

   A boate era muito daora, sei lá, tinha uns caras lá, e estavam com blusas de banda, só sei que quando passamos por eles, eles soltaram uma piadinha ou uma cantada, sei lá, dizendo que finalmente alguém normal nessa porra de Califórnia. O que fez Lacey rir enquanto sentávamos no balcão do bar. Estávamos decidindo se devíamos comprar uma Bacardi, ou Champagne. Até que um deles, o mais alto, chegou e perguntou se queríamos alguma dose, e nos convidou para sentar na mesa deles.

   Eles tinham uma boa conversa, e descobrimos que eles tinham uma banda, mas não deu muito tempo de conversa, até que um deles me beijou e o outro beijou Lacey. Tomamos mais umas doses, e eles tinham absinto – o que deixou Lacey muito doida – e fomos embora.

-        Lacey, você viu aqueles caras?!

-        Não, imagina, sou cega. Cara, o que eu fiquei era muito gostoso, e beijava muito bem. E o que você ficou?

-        Também, ele tinha pegada, mas cara, eles estavam locões, será que a gente vai se encontrar outro dia, será que eles se lembrariam do que aconteceu? – Eu disse enquanto procurava uma loja de bebidas.

-        Não, é claro, acho que nem eu vou me lembrar dele amanhã, não lembro nem do que comi no café da manhã de hoje – Ela realmente estava bêbada, eu acho que com tudo, eu era a que menos ficava bêbada com facilidade, o que era uma boa pra poder lembrá-la das merdas que ela fez na vida até ela me dar um soco – Hey, Jannie, olha aquilo, uma loja de bebidas! Vamos lá!

-        Bora, mas pera, ela tá fechada, você tá com a sua chave ai pra tentarmos abri-la?

-        Isso é, mas é fácil, nós já fizemos isso tantas vezes no bar do Paul lá na nossa rua.

-        Uhum.. Vamos, já são 22:47, daqui pode passar os tiras, você lembra da reportagem que a gente viu antes de fugir? Que eles sempre passam antes de 00:00, eu não quero ser presa.

-        Tá, vamos logo. Eu vou ficar aqui na espreita, caso apareçam, eu grito “Danger Line”, ok?
-        Ok. Espera, tem um carro estacionado ali, você se abaixa ou encosta nele que eu entro. Pegar o que? Uma de cada? Bacardi, Champagne, Vinho Tinto, Absinto, 40's?
-        Uhum, tá bom. Só não esquece de pegar sacolas. Eu vou lá buscar meu carro, espera ai, já volto. – disse ela correndo atravessando a rua pra pegar nosso carro que estava na garagem da boate.

   Passou-se uns 10 minutos, e eu estava tão aérea que não tive a noção de tempo. O tempo estava fechando, até que o som de música e uma buzina me acordaram. Era ela, finamente. Já havia aberto as portas do carro – a da frente para mim, e as de trás pra colocar as bebidas.
-        Vadia, vai logo, que eu tô de olho aqui.
-        Ok – Respondi como se fosse um soldado ao dizer “sentido” e entrei na adega. Fui direto ao ponto, primeiro duas sacolas, e coloquei as bebidas lá dentro. Mas percebi que elas tinham chip, e mais rapidamente os tirei. Até que eu ouvi portas do carro batendo, ela travando o carro e enfim as palavras que me fizeram estremecer internamente.
   Danger Line.

Nenhum comentário:

Postar um comentário